sexta-feira, junho 29, 2007

Voltando a Forma

Agora que já estou liberada pelo Dr. Renato é hora de recuperar a boa e velha forma! Ontem fui ao encontro da Renata (professora de hidro) para que pudésemos iniciar o trabalho de pós parto. Para começar os trabalhos fizemos uma aula de hidro, mas hoje eu volto a academia para uma avaliação, onde ela vai me pesar e medir o percentual de gordura (ai que medo...), depois vamos trabalhar dois dias na musculação e um na piscina, é um trabalho personalizado e muito legal espero ter resultados em breve!
Marquei também consulta com uma Nutricionista na terça, depois farei um post contando em detalhes a como foi a consulta.

terça-feira, junho 26, 2007

Festinha de 1 mês

Sexta-feira comemoramos o primeiro mês do pequeno Guilherme, a festa teve direito a bolas coloridas, brigadeiro e bolo, tudo feito com maior carinho pela bisa Jupyra. Recebemos a visita de vários amigos e familiares e o baby ganhou vários presentes lindos! Dentre as visitas o destaque foi o amiguinho Lucas que é apenas um dia mais novo que o Gui (isso mesmo o bb fez um mês no dia 23/5) e veio acompanhado da mamãe Cristina e do papai Marconi Também tivemos a presença ilustre do amiguinho Victor na barriga da mamãe Isabela e da Carol na barriga da mamãe Chris.
Vovô Delfim e Papai Fábio fizeram o Gui de boneco, um fazendo gangorra no barrigão e o outro mostrando a performace de "durinho" que costumama fazer em casa.

Tia Fê e tia Tati estavam encantadas com o baby Gui, que estava um espetáculo com seu seu conjuntinho vermelho, tia Ju também não ficou para trás e disputou com louvor o cargo de tia babona do ano!

Vovó Angélica como sempre foi a campeã no quesito troca de fraldas, mas papai Fábio fez uma bela demostração do "pit stop" para o tio Godinho, papai da Carol.
A vovó Denise veio de Petrópolis para participar da festinha.

Dinda Verônica e Ana foram as últimas tietes a chegar, mas chegaram a tempo de ouvir a nomeação oficial do Vovô Delfim como Dindo do baby Gui.

sexta-feira, junho 22, 2007

Visita ao Pediatra

Gente, neste primeiro mês sei que a atualização do blog ficou a desejar, mas acredito que com a volta do Fabio ao trabalho e os horários do baby Gui já mais organizados eu vou passar a mante-los informados como fiz durante a gestação.

Hoje foi nossa segunda consulta ao pediatra, Dr. Paulo Perricelli. Eu estou adorando o médico, ele é carinhoso e atencioso, além de certamente ser um excelente técnico. A indicação foi feita pela família pois ele acompanhou meus primos a mais de 20 anos atrás.

Bem, Guilherme já está com 53 cm e 4100 kg, estamos acompanhando o peso de 15 em 15 dias pois ele nasceu muito pesado, perdeu mais de 10 % do peso e demorou um pouco para recuperar, mas a mamãe aqui está dando duro na oferta do peito e estamso fazendo mamadas com no média uma hora de duração para engordar o pimpolho. Apareceu uma leve erupção no rostinho e agora as roupinhas que estão sendo lavadas pela vovó Jupyra não podem mais levar confort e devem ser lavadas com sabão de côco. No mais ele está bem.

sexta-feira, junho 15, 2007

Relato de Parto

Dia 22 de maio foi o primeiro dia da minha licença que resolvi ficar em casa, tinha acordado com um enorme preguiça e depois que o Fábio saiu para o trabalho fiquei vendo TV deitada no sofá da sala, passei a manhã inteira assim... lá para 12h comecei a sentir fome e almocei um miojo e um frango recheado e continuei deitada no sofá no auge da minha preguiça. O tempo foi passando e comecei a sentir um pouco de dor nas costas, virei para um lado, virei para o outro e nada da dor passar, imaginei que podia ter dado um jeito na aula de hidro que havia feito na manhã anterior pois tínhamos puxado bastante nos exercício para estimular o parto. Resolvi migrar para a minha cama, pois é mais macia e como a barriga já estava muito grande a cama estava sendo meu cantinho predileto. Virei para um lado, virei para o outro e a dor nada de melhorar, comecei a achar estranho, resolvi ligar para minha mãe que logo me mandou ligar para o médico, eu que detesto ligar para médicos logicamente não liguei. Avisei ao Fábio o que estava acontecendo e ele também disse para que eu ligasse para o médico. Resolvi tomar um banho quente e observar, mas antes mesmo de terminar de preparar meu banho a dor aumentou e finalmente decidi ligar para o celular do dr. Renato que atendeu prontamente, relatei exatamente o que estava sentindo e ele pediu que eu fosse para a Perinatal para que o médico de plantão me examinasse, eu logicamente relutei e perguntei se não era melhor aguardar mais um pouco e observar, mas ele insistiu que eu poderia estar em início de trabalho de parto. Eu resolvi aguardar mais um pouco e observar, afinal de contas seria um tremendo mico chegar na maternidade e ter que voltar para casa (só eu mesmo...) bem resolvi então voltar ao plano do banho quente e enchi na banheira do Box da suíte, coloquei sais de banho e lá fiquei por uma meia hora tentando observar se eu estava com contrações, mas só conseguia perceber as BH que são indolores e também não conseguia cronometrar pois não notava direito quando a tal contração começava e quando terminava, eu achei que a dor nas costas estava melhorando com o banho, mas na verdade era só um alívio por conta do calor da água. Até então foi mantendo contato com minha mãe que acreditava que tinha chegado a hora e com o Fábio que não acreditava de jeito nenhum que a hora tinha chegado, mas foi quando finalmente resolvi sair da água quente que tomei a decisão de ir até a clínica para tirar a dúvida, a dor tinha se intensificado e se eu ficasse em casa esperando correria o risco de ter que sair correndo para lá de madrugada. Eu liguei para a minha mãe e para o Fabio comunicando o que eu ia fazer e relatando que pretendia ir dirigindo, pois a dor ainda não era tão insuportável, mas não me deixaram e pediu ao meu irmão que fosse a te a minha casa para ir dirigindo meu carro até encontrarmos o Fabio no trabalho. Fui terminar de arrumar os pequenos detalhes das malas enquanto meu irmão vinha me pegar, ele chegou em uns 10 minutinhos, colocamos as malas e no carro e partimos, pegamos um tremendo engarrafamento e eu não tinha posição no carro, deitei o banco, levantei o banco e o desconforto só piorava. Quando chegamos a nossa primeira parada, Fabio e minha mãe já nos esperavam na esquina, Fábio continuava achando que não era nada. Seguimos para a maternidade que nunca me pareceu tão longe. Ao chegar nos identificamos e logo fomos encaminhados ao consultório, a médica me que atendeu foi a dra. Cristiane que também está grávida e aguarda o parto normal, quando ela foi fazer o toque fui na lua e voltei, doeu muito! Na mesma hora falei que não queria mais o parto normal e sim uma cesária, ela pediu que eu me acalmasse pois ainda estava com dilatação 3 e o trabalho de parto poderia demorar até 12 horas, mas eu comecei a chorar pois estava morrendo de medo. Fui encaminhada para a sala de cardio para verificamos como o bebe estava, enquanto eu fazia o exame o Renato, meu obstetra, chegou e veio conversar para saber se eu estava realmente decidida a fazer a cesária, falei a ele que não sabia se conseguiria agüentar as dores das contrações e ele sugeriu que eu fosse para o quarto para que pudéssemos fazer uma indução, eu topei pois assim eu ganhava um pouco mais de tempo para pensar. Fizemos a internação e ganhamos um “up grade” e fomos instalados em uma suíte com computador e DVD sem nenhum custo, Fabio foi pegar as malas no carro e eu fiquei no quarto, logo chegaram as enfermeiras e me pediram para colocar a camisola do hospital para colocarmos o soro, eu continuava com medo queria que o Fábio ou o Renato chegassem no quarto, pedi para aguardá-los, quando Fábio chegou colocamos o soro, apenas algumas gotas daquele líquido maldito e veio a primeira contração, eu pulei da cama, agarrei o caninho por onde saia o soro e dobrei para que aquilo não entrasse no meu sangue, não sabia se queria ficar em pé ou de cócoras, pensei que queria ir ao banheiro, mas estava agarrada naquele pote de soro, Fabio tentou ajudar e foi comigo, mas foi tudo muito desconfortável e a dor foi muito grande e o pior é que aquela era a primeira contração de 12 horas de sofrimento, tomei a decisão eu queria a cesária! A cena era ridícula, eu agarrada aquele caninho apertando para que não passasse o soro, Fabio tentando me acalmar e o Renato entrando pela porta do quarto com o aparelho de cardio para que pudéssemos aguardar o parto normal... Ele morreu de rir da minha cara e rapidamente deu entrada nos tramite para a cirurgia, daí para a frente foi tudo muito rápido em menos de uma hora Guilherme já estaria em meus braços. As enfermeiras trocaram o soro por um comum e veio um cara para levar a maca para o centro cirúrgico, chegando lá o anestesista já me aguardava e demos início ao processo, eu ainda estava morrendo de medo, medo principalmente por não saber se tinha tomado a decisão certa, mas agora eu precisava ser forte, graças a Deus a anestesia não doeu nada e logo toda a equipe estava na sala, faltava apenas o pessoal da filmagem que Fábio estava correndo atrás, e eu pedindo para o povo não começar o procedimento. Fabio finalmente apareceu com a notícia que a equipe estava fazendo outro parto na sala ao lado e não ia dar para filmar o nosso! Fiquei danada da vida, e descobrimos que o outro parto já estava acabando, eu queria esperar mas a equipe não espera por nada, é tudo rápido demais! Quando já estavam cortando minha barriga chegou a menina da filmagem, com toda a parafernália. Em mais uns 15 minutos nasceu o pequeno! Foram feitos os procedimentos e Guilherme foi colocado no meu peito. Depois o anestesista perguntou se eu queria dormir um pouquinho enquanto eu era costurada e eu aceitei, acordei quando a maca já estava sendo levada para o quarto. Guilherme foi nos encontrar às 11h e por lá ficou até de manhã.Ficamos no hospital por dois dias e nossa alta foi dada na manhã do dia 24 de maio.

segunda-feira, junho 04, 2007

Nasceu!!!!

Gente,

É com muito orgulho que comunico a todos a chegada de Guilherme.

Ele nasceu às 21h 01m do dia 22 de maio de 2007, com 3910 kg e 50 cm.

O parto foi uma Cesária decidida por mim durante o trabalho de parto, mas intuitivamente tomei a decisão acertada, afinal de contas o pinpolho nasceu bem grandão. Vou fazer um relato de parto em outro post para contar os detalhes desta mudança de planos em cima da hora.

Segue em anexo as primeiras fotos do meu pequeno grandalhão.