quarta-feira, setembro 29, 2010

Falando Mamã e Papa

Eis que finalmente a pequena Maria Eduarda, começa a balbuciar as suas primeiras palavrinhas! Há cerca de uma semana mais ou menos, percebemos que seus mamãs e papas realmente têm algum significado e são sim a maneira dela nos chamar!

Confesso que na verdade, os papas já estavam rolando a mais tempo, mas eu não queria acreditar, que “o meu chicletinho” estava chamando ao pai primeiro que a mim. Portanto, só considerei que seus balbucios eram realmente um chamado, depois que saiu o primeiro mamã!!! Mãe louca e ciumenta, eu?

Enfim, a gostosinha agora engatinha pela casa reclamando e chamando mamã e papa o tempo todo. Ela vem em nossa direção, já falando e quando chega bem perto, senta e levanta o bracinho e abre um sorriso lindo, que com apenas 2 dentes, é o mais lindo e encantador do mundo!

sexta-feira, setembro 24, 2010

Toda princesa tem que ter seu príncipe…

DSC01932

Na feira cultural da escola, a Flavia, minha vizinha e mãe da Marina, amiga de sala do Guilherme, veio me contar uma novidade. Disse que Marina chegou em casa outro dia dizendo que tinha um novo príncipe, o Guilherme Bernardi. Não satisfeita em apenas dar a informação a mãe, resolveu justificar os seus motivos e continuou “-O Guilherme é meu príncipe, porquê ele é moreno!” Morri de rir com a justificativa! Ela que também é moreninha que só de ter achado que a cor chocolate do gostosinho combinava com ela!


Como no domingo era o dia da festinha de aniversário da Marina, não pensei duas vezes, sugeri ao Guilherme que ele fosse vestido de príncipe, ele adorou a idéia!


Coloquei calça jeans e jaqueta de couro fechada e por cima colocamos a capa azul, a coroa e a espada na mão, ficou a coisa mais linda e mais charmosa do mundo! Eu fiquei completamente apaixonada!


Chegando na festa, como não poderia deixar de ser, ele foi o centro das atenções, afinal estava encantador como príncipe, isso sem contar a postura de seriedade que tomava o moleque.


Na hora do parabéns, a Mariana, exatamente como eu previa, colocou um vestido de princesa e se preparou para sair de um tubo, no meio na casa de festa. Guilherme, ficou do lado de fora, todo compenetrado, esperando a sua Bela. Quando ela saiu, com direito a fumaça e tudo mais, ele estendeu a mão para ela e saiu andando de mão dada. Simplesmente a coisa mais linda que já vi!!!!! Ainda pararam direitinho para que eu pudesse tirar a foto, pena que a máquina estava no manual e programada par sem flash... Conclusão, perdi a melhor foto... O importante é que o momento ficará na nossa memória para sempre!!!


DSC01933 DSC01934 DSC01939 DSC01945 DSC01949 DSC01952 DSC01953 DSC01954 DSC01955DSC01966 DSC01956 DSC01957 DSC01960 DSC01967

Já pensou se eles namoram de verdade quando forem maiorzinhos?


quarta-feira, setembro 22, 2010

O Banho

DSC01931



À hora do banho lá em casa, é sempre uma hora muito feliz do nosso dia. Quando chegamos do trabalho, eu e Fábio costumamos tomar um banho quentinho para relaxar do dia de trabalho e colocar o pijama, mais fresquinhos. Ultimamente, as crianças não podem ver um de nós entrando no chuveiro que querem entrar também. Mesmo sabendo que elas já tomaram banho depois de chegar da escola – isso quer dizer umas duas horas antes – eu deixo, afinal de contas um banhozinho antes de dormir não faz mal a ninguém, não é mesmo!

Eles adoram a brincadeira, e ficam juntos no Box brincando por muitos minutos. Inclusive já peguei dona Duda dentro do Box, de roupa e tudo, umas duas vezes! Graças a Deus, banho lá em casa é sinônimo de brincadeira e coisa boa, portanto eles não me dão o menor trabalho para entrar no chuveiro!

Outro dia, peguei os dois, brincando na banheira de uma forma tão linda e encantadora, que não resisti. Corri e peguei a máquina, eu precisava guardar este momento para sempre!!!

Não é de encantar qualquer um?

segunda-feira, setembro 20, 2010

Feira da Cultura

Na última sexta, aconteceu a primeira feira da Cultura da vida de Guilherme. Há semanas que vínhamos fazendo pesquisas e coletando alguns objetos em casa sobre os países e regiões estudadas.

A turminha do Jardim 1, ficou responsável em representar a região norte de nosso país e em pesquisar sobre a Espanha. Para nós ficou bem fácil fazer a pesquisa sobre a Espanha, já que viemos de uma família espanhola, escolhemos dentre alguns suvenires da casa da minha mãe, uma escultura de Don Quixote e uma miniatura da Sagrada Família, meu pai, que sempre foi excelente contador de histórias, ficou incumbido de contar tudo para ele! Achei legal que até pesquisa computador eles fizeram juntos. Eu optei por enviar a pesquisa aos poucos, assim dia após dias nós falávamos em casa sobre um assunto que estava sendo trabalhado na escola. A experiência foi deliciosa!

Nos dias que antecederam a festa, o pequeno estava super animado e só falava na feira cultural! Já cantarolava em casa a música de sua apresentação e mostrava alguns movimentos da coreografia que iria apresentar.

No dia da festa, organizei tudo no trabalho, para que às 16 horas em ponto pudesse estar na porta da escola aguardando o início da festinha. Depois de um papinho rápido com as outras mães, fomos avisados que a apresentação ia começar. Fomos encaminhadas até o pátio e sentamos nas cadeirinhas usadas por eles durante as aulas.

Eu, não consigo me conter, fico absolutamente encantada ao ver o Guilherme durante as apresentações da escola! Quando vejo o meu filho entrando, monto um sorriso que não desmonta mais! Desta vez, achei que ele estava especialmente desenvolto e desinibido, um rapazinho mesmo! Super integrado com os amigos e com a letra da música e a coreografia decoradinha. Como a fantasia era de índio – eles apresentaram uma coreografia que representava os bois Caprichoso e Garantido, de Parintins, região norte do Brasil – o meu moreno se destacou! Não consigo conter a corujice, ele estava lindo demais!!!!

Uma pena o Fabio não ter conseguido chegar a tempo com a máquina! Ainda bem que em tempos modernos sempre tem um celular para salvar a pátria não é mesmo?






Foi ao fim da dança, que pedi para a tia Cátia, responsável pelo berçário, para trazer a Dudinha para mim. A gostosinha ainda não pode participar destes eventos, ela ainda não anda... Confesso que até o final, fiquei na esperança que ela tivesse alguma participação especial, mesmo que no colo das tias, mas não rolou. De qualquer forma, ela marcou sua presença quando veio para o meu colo. É impressionante como os amiguinhos do Guilherme ficam encantados com o fato do amigo ter uma irmã! Todos eles, vem falar com ela, passar a mão na cabeça, dar beijinho. Uma graça! As mães também comentam comigo que eles dizem em casa que querem uma irmã como a do Guilherme Bernardi. Acho que estão todos passando pela fase do “Eu quero um irmão!”

Depois disso, o pai conseguiu chegar, e visitamos juntos as salinhas, onde estavam expostos os trabalhos sobre os países e regiões do Brasil, que foram estudados. Em cada estande, pudemos provar as comidas e bebidas típicas. Na sala do Gui tomamos Guaraná e tiramos fotos em um bonecão espanhol, estava tudo bem legal e criativo.

Adoro estes eventos na escola, acho que é importante esta porta de entrada sempre aberta entre os pais e a escola. Lá, até por ser bem perto da nossa casa, temos uma sensação boa de que a escola é uma extensão do nosso lar... Nas últimas semanas, tenho pensado muito em quanto será sofrida a inevitável troca de escola, quando ele for para o primeiro ano... Muitas vezes já pensei em colocá-los em outra escola, que me seduz demais, mas quando penso no quanto o Guilherme vai sofrer, sinto medo... Mas isso é um assunto para debatermos em outro post... Volto logo!!! Beijos!!!

sexta-feira, setembro 17, 2010

Um menino de um metro!

Ontem foi dia de consulta de rotina no pediatra, e eu, mais uma vez tive certeza, amo o meu pediatra! Dr. Paulo Perricelli ou tio Paulinho, como é conhecido por todos os seus paciente é simplesmente um fofo! Quando chego ao consultório, tenho sempre a impressão que ele faz parte da minha família. Conversamos muito, ele me contou detalhes sobre o nascimento do primeiro neto, falamos sobre posturas bizarras de algumas mães, ele abraça e beija as crianças enquanto examina e eles adoram as consultas. Enfim, encontrar um médico de verdade hoje em dia é tarefa árdua e eu, graças a Deus, tenho a grande sorte de ter um desses na minha vida.

Dudinha, aos 9 meses e 6 dias de vida, está com 68 cm e 8,400 kg, uma bolinha! A alimentação deverá permanecerá a mesma, só a partir do mês que vem que ela passa a poder comer o caroço do feijão e será classificada como uma criança que pode comer de tudo. Falta pouco, bem pouco!

Ela ainda continua um pouco resfriada, desde seu primeiro mergulho na piscina lá na Fazenda Ribeirão, mas apesar de não ser nada muito grave, vamos entrar com predsin e fluimulcil (que eu já estava dando desde lá), também continua com cewin e kalyamon.

Guilherme, aos 3 anos e 3 meses de vida, acaba de atingir um marco, finalmente completou 1 metro de altura!!! Lindo perceber que o meu garotão já está tão alto... Eu me derreti toda e fiz a maior festa, afinal ele já é um rapazinho lindo e alto! Está pesando 17, 100 kg, o que é um ótimo peso em relação à idade e a altura.

Aproveitamos para falar sobre uma possível cirurgia de fimose, e tudo indica que não poderemos escapar. De qualquer forma, só poderemos pensar mais a fundo sobre isso quando ele estiver totalmente desfraldado, o que ainda não é uma realidade para nós, já que Guilherme ainda usa fralda para dormir. Conversamos sobre como é feita a cirurgia, que parece absolutamente simples, mas a anestesia, realmente me amedronta. Pensar em ver meu filho desacordado em uma mesa de cirurgia, por conta de um motivo tão banal, me aperta o coração. O pai acha que devemos fazer, eu não consegui formar uma opinião concreta, de qualquer forma quero esperar um pouco mais. A época ideal para ser realizada, é entre 3 e 5 anos de idade.

Legal é que Guilherme confia tanto no tio Paulinho, que permitiu numa boa que ele examinasse, sem reclamar! Seu comportamento foi tão exemplar, ganhou de presente um balão de gás hélio, pendurado por uma linha em um abaixador de língua que vira um apito, dá para imaginar a felicidade do menino? Fico tão orgulhosa em ver como ele está maduro e crescido!

Hoje, no fim do dia, teremos feira cultural na escola, Guilherme vai representar a região norte e se fantasiará de índio. Dudinha também não ficará de fora e vai apresentar a dança do pezinho, provavelmente no colinho de alguma tia... Volto em breve para contra detalhes e é claro mostrar as fotos de tudo isso!

terça-feira, setembro 14, 2010

Ela se nega a ficar na cadeirinha...

Diferente do irmão, que nunca reclamou de andar para cima e para baixo preso na cadeirinha do carro, Duda resolveu que não quer mais andar no bebê conforto de jeito nenhum! Não é 100% do tempo, nem 100% das vezes que andamos de carro, mas virou e mexeu, a pequena se cansa e abre o berreiro. Quando eu digo abre o berreiro é grita muito, chora de molhar a roupa com tantas lágrimas. Se não a pegar no colo, ela chora sem cansar e vai gritando cada vez mais alto e com mais raiva.


Eu, que simplesmente não suporto escutar criança chorando, acabo sempre cedendo e pulando para o banco traseiro – fico apertada entre as cadeirinhas – para acalmá-la, no colo e no peito, única coisa que a faz parar.


Na verdade, não concordo com a minha própria atitude, que é burra e super arriscada para nós duas. Eu morro de medo de acidentes de automóvel e sei o quanto o risco é alto, mas o que fazer com um bebê que se esgoela dentro da carro durante o trajeto?


Já tentamos todo o tipo de brinquedo, chupetinha e até mamadeira com suco, tudo para tentar acalmar Maria Eduarda dentro do seu bebê conforto, mas nada faz com que ela pare de chorar.

Hoje, dando uma diagonal em alguns blogs que eu não visitava a muito tempo, me deparei com um post da Ana Reis, falando sobre um acidente de automóvel. Fui correndo ler o relato para saber mais detalhes do que aconteceu!


Estou com o coração apertado até agora, só de pensar que durante boa parte do trajeto de ida e de volta a Barra do Piraí, onde fica a Fazenda Ribeirão, Duda permaneceu no colo pendurada no peito, me aperta o coração!


Não sei qual é a solução para o meu problema, não sei se o problema dela é com o bebê conforto, que fica de costas ou se é apenas manha, só sei que a partir de hoje eu não quero mais pega-la no colo durante um trajeto de carro!


Minha mãe está voltando de uma viagem aos EUA e vai trazer com ela uma cadeirinha nova para a Duda, que em breve estará apta a viajar virada para frente. Não sei se esta será a solução para o nosso problema, mas certamente será uma boa tentativa.

Justificar

sexta-feira, setembro 10, 2010

Ela finalmente engatinhou!!!

Foi no último dia 2 de setembro que Dudinha, finalmente saio da inércia e resolveu engatinhar. Minha pequena preguiçosa, depois de quase nove meses, está agora explorando o mundo de maneira mais voraz!

Verdade seja dita, ela ainda continua sendo uma lady, que com toda a cautela do mundo, conhece aos poucos os espaços e objetos, sem nenhuma pressa, mas quem disse que ser apressado é bom? O perfil da minha menina é bem diferente do jeitinho agitado e elétrico meu e do irmão!

Para não dizer que criança quietinha nunca faz arte, ontem ela aprontou uma. Quando chego em casa do trabalho, tenho o costume de tomar um banho bem quente e colocar o pijama para relaxar, já tem um tempinho que levo a Dudinha comigo e a deixo sentadinha no tapete, ela é super grudada comigo e se não for assim ela chora reclamando a minha falta. Tomei meu banho enquanto ela grudava o rosto no vidro para me observar. Saí do banho, me enxuguei e segui até o quarto para colocar a roupa. Menos de 1 minutos depois, escuto barulho de batidas na água. Era a pequena, dentro do Box, completamente encharcada, batendo com as mãozinhas na água e morrendo de rir ao ver ela espirrar.

São as primeiras estripulias de um princesinha que começa a aprontar por aí!

quarta-feira, setembro 08, 2010

Fazenda Ribeirão – Hotel de lazer

Eu levo uma vida super agitada, e tenho sentido um pouco de dificuldade de organizar as coisas e separar um tempo para curtir só a minha família. Sempre estamos rodeados de amigos, o que é ótimo, mas já fazia tempo que eu queria separar um tempo para dedicar só a nós.

Passei semanas pensando e escolhendo um lugar legal para passarmos o feriado. Liguei para várias amigas, naveguei na internet, conversei com o Fábio e depois de muita indecisão, finalmente elegi a Fazenda Ribeirão como o recanto da nossa família para este feriadão.

Ainda no trabalho, fiz uma lista completa com tudo que seria necessário durante os 4 dias de nossa estadia no hotel, incluí as roupas que queria levar para cada um de nós, itens de higiene e até coisas de cozinha, como papinhas para a Duda e biscoitinhos e suco de uva para o Guilherme. Cheguei em casa, na noite de quinta e arrumei tudo com o maior carinho dentro das malas. Adoro esta etapa de planejar e curtir uma viagem antes mesmo dela acontecer, acho que isso faz a minha expectativa crescer e o prazer da hora “H” se torna ainda maior.

Sexta, nós saímos do trabalho e antes que a noite caísse, já estávamos com o pé na estrada em direção ao tão esperado e merecido descanso. Apesar do cansativo engarrafamento que pairou sobre o Rio de Janeiro, chegamos ao hotel ainda em tempo de relaxar e curtir o delicioso jantar que nos esperava. Depois disso seguimos para o quarto que havíamos reservado, que era bem distante da sede do hotel, um pequeno probleminha, que foi facilmente resolvido na manhã seguinte, com uma conversa com a gerente Patrícia, que foi extremamente gentil em ouvir a minha reclamação e super atenciosa em imediatamente nos instalar melhor em uma das suítes do lago, a menos de 20 metros da piscina, do restaurante e do bar. Fica a minha dica para quem vai se hospedar na Fazenda Ribeirão e tem filhos pequenos, nem pense duas vezes, escolha os quartos próximos a piscina!

Nosso primeiro dia de curtição começou cedo, acordei antes das 8 da manhã, ansiosa em conhecer o pessoal da animação. Tomamos banho e nos arrumamos para seguir para o café da manhã, nos deliciamos rapidamente com todas as guloseimas tradicionais neste tipo de hotel e saímos com a turma da Alpha + para a primeira atividade, conhecer o curral e ordenhar a vaca. Seguimos cantarolando pela estrada em quanto caminhávamos em direção a parte baixa do hotel. Fábio seguiu mais a frente com o Guilherme, que ainda estava muito tímido para seguir sozinho, fazendo as coreografias e cantando as canções sugeridas pelas tias. Eu segui um pouco atrás, empurrando o carrinho da Duda, junto a uma carreata de mães em mesma situação.

Chegando ao Curral, os pequenos deram capim para os bezerros e depois fizeram fila para aprender a ordenhar a vaca. Uma graça a felicidade das crianças em conseguir tirar leite das tetas da bichinha! Guilherme, fofo como sempre, me perguntou “- Ele vai mamar no peitinho da mãezinha dele, que nem a Duda mama no seu peitinho mamãe?” eu respondi “-é sim filho, ele vai mamar no peitinho da mãezinha dele!” e imediatamente fui remedada por uma menina de uns 5 anos de idade “- Ela não tem peito tia, ela tem teta!” Falar o que para esta criança, meu Deus?! Morri de vergonha!

De lá seguimos para o Alambique da fazenda, lá os funcionários do hotel plantam a cana e produzem uma cachaça, que é vendida no local, tudo idealizado e feito bem de perto por um empresário paulista, dono da fazenda. Durante a visita ao alambique, são servidas frutas e queijos, que podem ser harmonizados com os diversos sabores de cachaça que são oferecidos para a degustação dos hóspedes. Para as crianças e para os não iniciados, é servido pastel de queijo e carne, além é claro de caldo de cana bem geladinho, só de contar para vocês já me deu água na boca!

Depois de toda esta caminhada, seguimos para a piscina do hotel, fomos aproveitar o Sol, que brilhava esplendoroso no céu para nos brindar e curtir uma merecida preguiça. Por sinal, esta foi à estréia de Dudinha no mundo das piscinas. Ela adorou e não reclamou da água gelada, linda a minha menina branquela! Depois, estendi algumas cangas e toalhas em uma sombrinha que estava dando sopa na grama do jardim e a deixei a pequena brincar de biquíni por ali com seus brinquedinhos, enquanto o irmão não se cansava de pulava na piscina. Neste dia optamos por almoçar na beira da piscina, sabia decisão a nossa!
DSC01569
DSC01824
DSC01571  DSC01572 DSC01753  DSC01764
DSC01519C DSC01524DSC01523  DSC01554DSC01553 DSC01555 DSC01563
DSC01536
A partir do meio dia e das seis da tarde, fica aberto o restaurante infantil, um lugar especial para receber os menorzinhos, onde é servida a comida que eles gostam (batata frita, arroz, feijão, macarrão, salada, legumes, gelatina e sorvete, entre outros sabores que seduzem os pequenos) e ainda passa Discovery Kids na TV! Tem coisa melhor para fazer as crianças rasparem o prato! Em frente ao restaurante infantil, ainda tem uma sala de estimulação, que na da mais é do que uma brinquedoteca, cheia de brinquedos educativos, livrinhos, televisão com DVD, tapetes e colchonetes. A brincadeira é supervisionada pela tia Márcia, que gentilmente ainda ficava com a Dudinha para que eu e Fábio pudéssemos comer com tranqüilidade. Para quem desejar, o hotel também disponibiliza o serviço de babá exclusiva, o preço é super convidativo e o serviço pode ser estendido até as 21h. Apesar disso, nos fins de semana eu ainda prefiro lamber a minha cria tempo integral e sozinha!

Na parte da tarde, as crianças brincaram de fazer massinha, não apenas brincando com as massinhas de modelar prontas, que existem no mercado, mas produziram a sua própria massinha de farinha e tinta junto com as tias Fabi e Aline. Guilherme adorou!

A animação da equipe da Alpha + é um dos pontos altos do hotel, Guilherme em pouco tempo já estava bem à vontade com as tias Fabi e Aline, se sentindo seguro de seguir nas brincadeiras sem a nossa companhia, o que nos surpreendeu positivamente. Ele ainda tem um pouco de dificuldade de socializar com o grupo de crianças, percebo que ele ainda precisa do meu estímulo para chegar a um amigo novo e fica mais fácil quando o grupo é menor.
DSC01789  DSC01547B
Enquanto os adultos jantam as crianças são convidadas a participar de uma brincadeira noturna, onde são separadas por idade, os maiores, com mais de cinco anos, brincam de brincadeira na linha do polícia e ladrão, enquanto os menores contam história, sentadinhos em uma roda e também recebem um visitante, que faz parte do contexto da história contada.
DSC01685 DSC01681 
Para fechar o dia, ainda tem música ao vivo no bar do deck. Como nosso quarto era muitíssimo próximo da sede, pudemos deixar Gui deitadinho vendo seus DVDs prediletos no quarto, enquanto nós bebíamos um delicioso vinho e namorávamos no bar. Senti muita falta foi da babá eletrônica, pois com ela poderíamos deixar Dudinha dormindo no berço enquanto fazíamos outras coisas ali por perto, até mesmo ficar no bar (50m do quarto), na nossa próxima viagem eu certamente vou me lembrar.

No dia seguinte, a frente fria entrou, mas entrou devagarzinho, sem prejudicar o nosso passeio. O Sol foi embora e a temperatura caiu bastante em relação ao primeiro dia, mas não choveu e o clima menos amistoso não nos impediu de continuar aproveitando ao máximo as atividades. Começamos a manhã visitando e alimentando os animais, Guilherme se assustou um pouco com o tamanho do bico do avestruz, que veio pegar um alface que estava na mão dele, não machucou, mas assuntou. Confesso que até eu fiquei com medo de esticar a mão para um bico daquele tamanho, ô bicho feio!!! Alimentamos coelhos, galinhas, patos e porquinhos. Também avistamos os enormes búfalos, mas estes, bem de longe!

De lá seguimos para um passeio até a “prainha”, parte do lago onde as crianças podem entrar na água e brincar com a argila que tem no fundo. As crianças foram para lá de barco ou pedalinho, eu segui a pé por uma trilha, empurrando o carrinho da Duda, ainda aproveitei para ir fotografando pelo caminho. Os adultos também foram convidados a passar a argila do lago na pele, mas eu não encarei a água fria e preferi ficar só de expectadora.
 DSC01574 DSC01577 DSC01578 DSC01580 DSC01587 DSC01598 DSC01603 DSC01613DSC01615DSC01611   DSC01616 DSC01621 DSC01623 DSC01627 DSC01629
Depois do almoço foi hora de um descanso em família e até eu que detesto dormir depois de tarde me rendi aos braços de Morfeu e dormi umas duas horinhas! Acordei já com a noite caindo e convenci a todos de nos deliciarmos no SPA, complexo do hotel onde são oferecidas massagens e banhos relaxantes, além de piscina aquecida e sauna. Dudinha ficou bem quietinha no carrinho, pois depois da piscina gelada do dia anterior acabou se resfriando. Fábio aproveitou a sauna quentinha para fazer uma coisa que adora, fazer a barba dentro da sauna! Pensa que homem também não gosta de se cuidar?

Final de noite com um rock delicioso no bar do deck, desta vez com Gui dormindo no carrinho e Duda dançando no colo a noite toda, por sinal ela ficou conhecida no hotel inteiro como a baladeira mor das instalações!

No terceiro dia, nossa manhã foi dedicada a conhecer a “Terra do Nunca” parte do hotel, normalmente utilizada por executivos em treinamento, para jogos cooperativos. Na verdade, nada mais é do que um pequeno circuito de arvorismo simples, utilizado pelas animadoras para brincar com as crianças. Guilherme se fartou e se destacou entre os maiores por seu equilíbrio e destreza neste tipo de atividade, o Tio Renato, animador dos adultos, veio inclusive falar comigo, me estimulando a incentivá-lo a fazer algum esporte como ginástica olímpica, Imagina o tamanho do orgulho da mãe que vos fala?!

Depois disso fomos conhecer as partes mais distantes do hotel em uma passeio de charrete em família, Guilherme e Dudinha não duraram nem os primeiros quinze minutos de passeio, a equação colinho de mãe mais balancinho da charrete, foi perfeita para resultar em um longo e gostoso cochilo.

À tarde as crianças foram para a oficina de culinária, onde prepararam os biscoitos dos lanche. Para os adultos, teve bingo e adivinha quem ganhou uma garrafa de cachaça da Fazenda Ribeirão? Eu!!! Adoro participar deste tipo de atividade, quando tenho a felicidade ganhar então, nem se fala!!!
 DSC01705 DSC01715 DSC01716 DSC01718DSC01721 DSC01719  DSC01722 DSC01723 DSC01726 DSC01727 DSC01732 DSC01744 DSC01767 DSC01772 DSC01775
Nesta noite o clima de despedida já começava a se abater sobre nós, muitas famílias já tinham ido embora e hotel já estava mais calmo. Depois da brincadeira noturna, conferimos uns vinte minutinhos de música ao vivo, desta vez no melhor estilo Zé Ramalho, e fomos para o quarto, assistir “Alvim e os esquilos” com a criançada e degustar, em família, a nossa última garrafa de vinho...

Tudo que é bom dura pouco e o nosso último dia de viagem chegou. Já era o momento de nos despedir dos bichinhos, de fazer as últimas brincadeiras e passeios pelo hotel. Neste dia, eu e Guilherme aproveitamos para fazer um longo passeio de barco pelo lago enquanto Fábio curtia a pequena Dudinha. Eu e Gui conversamos muito e gastamos quase um saco de ração alimentando as enormes carpas de mais de 70 centímetros que tem no lago. Delícia de passeio! O Sol mostrava os seu primeiros raios depois de dois dias desaparecido, só para nos deixar com mais vontade de ficar por ali mais tempo, mas era preciso voltar a nossa rotina.
DSC01829 DSC01831 DSC01845DSC01849DSC01847B 
Logo depois do almoço, terminamos de fechar as malas, acertamos as contas e tiramos as últimas fotos daquele lugar lindo. Entramos no carro e seguimos por aqueles quilômetros até a porteira de entrada da Fazenda Ribeirão tendo a certeza que vamos sentir saudade e sabendo que um dia vamos voltar, se Deus quiser!

assinatura lúcia